Mais lidos

Trecho diário - Sivan Rahav Meir

Esta não é a nossa festa

O Trecho Diário

Esta não é a nossa festa
Referência remota ao debate de Chanucá em Israel: Desde que nossa missão começou nos Estados Unidos, estamos fora. Esta não é a nossa festa. A princípio, vi uma abóbora em todos os quintais e fantasias assustadoras. Halloween, muito prazer. Dia das bruxas. Depois, perus e muitos convites para a "Festa de Ação de Graças", como "Onde você vai passar o Seder?" E agora o clímax. Natal. Perguntei ao vendedor na loja Target, esta semana, se ele não queria ouvir outras músicas em segundo plano e ela explicou: "De Black Friday a 1º de janeiro, só podemos colocar músicas de Natal, essas são as regras". Eu quase saí de lá cantando músicas de Papai Noel. No caminho para casa, contei algumas chunukiot nas janelas e inúmeros trenós de alce, neve e arvores de Natal.
Steven Spielberg, o diretor número um, judeu-americano, foi entrevistado uma vez e contou como ele, quando criança, também queria decorar a casa com estas luzes: "Para mim, nossa casa parece um buraco negro no meio do bairro iluminado. Eu implorei que papai fosse como todo mundo. Eu me senti como um estrangeiro judeu, envergonhado da minha identidade. Eu queria ser um não-judeu no mesmo zelo que queria ser um diretor de cinema.
Li suas palavras com pesar e fiquei cheio de apreço pelos judeus de todas as gerações que mantiveram sua identidade com amor no exílio, como minoria, contra a brilhante maioria. Existe apenas um país no mundo em que a festa é a nossa festa. Onde o pulso pulsa no ritmo judaico. Hoje estou aprendendo a apreciar muito mais essa terra.