Mais lidos

Parashat Toldot

Yaakov e Essav - Parashat Toldot

Será que Yitschak não tinha conhecimento dos atos de seu primogênito? Rashi demonstra as artimanhas de Essav para obter a apreciação de seu pai sob o pretexto de ser justo: "Pai, como é feito o dízimo do sal e da palha? (coisas que estão isentas do dízimo)" É possível que, graças a essas estranhas perguntas, Yitschak apreciava e gostava de Essav?

Yaakov e Essav - Parashat Toldot

Yaakov e Essav

Desde o nascimento, Yaakov e Essav se separaram, Essav para a maldade e Yaakov para a bondade. Desde então, eles incorporaram dois opostos, dois opostos polares, sempre lutando sobre a herança dos dois mundos.

 

Consta na Torá (Bereshit 25: 26,27): "E os meninos crescem, e Essav era um homem de caça... E Yaakov um homem completo, que se sentava em tendas (estudando Torá) E Itschak gostava de Essav, pois  a caça estava em sua boca, e Rivka gostava de Yaakov".

 

Este versículo suscita um longo e contínuo debate substantivo que Rivka conduziu com Yitschak. Sobre educação, o futuro das crianças e suas expectativas. De fato, girou em torno do futuro das duas nações prestes a sair dos dois irmãos.

 

Quando os meninos cresceram, suas qualidades polares opostas foram reveladas;

Essav se sente muito bem com o mundo cultural que chia. Seu coração não é particularmente atraído pelo ideal Divino que ele ouviu de seu pai Yitschak e herdou de seu avô Avraham. Rivka, a mãe, sabia em profecia que as esperanças da família de Avraham se apoiam em Yaakov. Este é o significado de seu amor por Yaakov, um supremo amor espiritual que está além do amor natural da mãe.

 

Porém Yitschak não conduziu deste modo.

 

Será que Yitschak não tinha conhecimento dos atos de seu primogênito? Rashi demonstra as artimanhas de Essav para obter a apreciação de seu pai sob o pretexto de ser justo: "Pai, como é feito o dízimo do sal e da palha? (coisas que estão isentas do dízimo)" É possível que, graças a essas estranhas perguntas, Yitschak apreciava e gostava de Essav?

 

A resposta é que, de fato, Yitschak sabia exatamente e precisamente quem era Essav.

 

As perguntas dos dízimos de Essav não eram capazes de enganá-lo, mas essas perguntas continham mensagens e intenções ocultas.

 

O sal e a palha, têm uma característica comum: em si não são considerados alimentos. A palha - é completamente sem gosto, e não é digno ao consumo humano. O sal - muito saturado com sabor, até que não mereça ser comido por si só. Por causa dessas qualidades, os dois não são considerados alimentos e estão isentos do dízimo.

 

Embora esses alimentos não tenham valor próprio, eles ajudam com outros alimentos e incrementam seu paladar. A palha conserva o trigo que não apodrece no celeiro e o sal - dá sabor aos diversos alimentos. Quando Essav perguntou: "Como é feito o dízimo do sal e da palha?" Supôs que eles deveria ser retirado o dízimo deles, sendo úteis para outros produtos, mesmo sendo que a quantidade dos dois é mínima. (de acordo com o Maharal).

 

Essav queria transmitir uma mensagem obscura a Yitschak: Eu sei que não tenho valor próprio, um "homem do campo" egoísta, desmontando todos os encargos. Também vendi a primogenitura por um ensopado de lentilha e perdi o direito de trabalhar no Beit Hamikdash. No entanto, já que nasci com Yaakov, sou semelhante à casca que envolve a fruta e a ajuda, assim como a palha e o sal que ajudam com outros alimentos. Então, abençoe-me meu pai, como assistente de Yaakov.

 

Yitschak possuía em suas mãos, duas berchot

1-  A berachá de Avraham, para a fundação do povo judeu, por receber a Torá e a herança da terra. É claro para todos que essa bênção é para Yaakov. A prova disto são os pessukim descritos na Torá (Bereshit 28: 1-4), quando Yaakov saiu da casa de seus pais dirigindo-se a Charan, e assim está escrito lá: "e chamou Yitschak a Yaakov, abençoando-o...D'us te abençoe e te multiplique e seja uma congregação de nações. E que te outorgue a bracha de Avraham, para ti e para sua descendência, para que herdes a terra de sua vivência, a que foi outorgada de D'us para Avraham"

2-  A segunda berachá - a abundância no mundo físico, como está escrito (Bereshit 27:23): "E D'us vos dará do orvalho do céu e das gorduras da terra...".

Desde o momento que Essav confessou a Yitschak e reconheceu o fato que pelo menos externamente, que é apenas como uma casca que ajuda à fruta, Yitschak queria fortalecer seu relacionamento com Yaakov. Sua intenção era melhorar o relacionamento do nível "fruto e casca", para o nível de parceria. Nesta etapa, Yitschak pretendia alcançar dois propósitos. Um – ajudar a Yaakov que precisa de apoio financeiro para o estudo da Torá, e o outro - para Essav, que fará parte do próximo mundo apoiando e dando suporte a Torá.

 

Esta foi a razão que Yitschak decidiu que as berachot deste mundo deveriam ser repassadas a Essav. Sua intenção era que Essav atendesse às necessidades materiais de Yaakov, e assim Essav permanece conectado à verdade de uma maneira vinculativa.

 

Por outro lado, Rivka aceitou profeticamente a palavra de D'us: "Dois gentios em seu ventre e duas nações de suas entranhas se separarão" (ibid. 25: 2), os dois irmãos seguirão seu próprio caminho e não são adequados para parceria. Pelo contrário, eles são essencialmente contraditórios entre si e não podem viver na "coexistência" da fraternidade.

 

Como mãe responsável pela educação de seu filho, Rivka conhecia bem as qualidades de Essav. Ela sabia que mal e o amargo seria o destino de Yaakov se suas necessidades materiais fossem de responsabilidade de Esav. Essav não tem conhecimento do estudo da Torá, e ele pode estar deixando Jacó com fome de fome. Rivka entendeu que a profecia que lhe foi contada: "De suas entranhas se separará", se relacionam também às berachot de Yitschak, portanto ela fez de tudo que as berachot dos meios materiais chegassem também a Yaakov.

 

A controvérsia entre Yitschak e Rivka foi decidida por D'us. A abordagem de Rivka foi aceita e berachot foram dadas a Yaakov. O acordo de parceria foi criado dentro do povo de Israel por "Issachar e Zevulun". Issachar senta-se em uma tenda em sua tenda e lida com a Torá, enquanto Zevulun, que reconhece a importância do estudo da Torá, fica feliz em sair para negociar para apoiar seu irmão. O versículo diz: "Regozije-se com Zevulun por sua saída" (Devarim 33:18), já em sua partida para o comércio, mesmo que ele ainda não tenha trocado e não ganhou nada, por quê? Porque "Issachar está em sua tenda " - reconhece o valor de seu irmão que se senta em suas tendas e pensa na Torá Sagrada.

 

Porém a grande incógnita é, será que Yitschak estava errado? Claro que não. Ambos os métodos são verdadeiros, e ambos serão realizados nas descendências de Yaakov e  Essav.

 

O método de Rivka está de acordo com a realidade contemporânea - o presente, como veremos, enquanto o método de Yitzchak Avinu é apropriado para os dias posteriores, como está escrito: "Levanta-te com estranhos e apascenta seu rebanho, e seus vizinhos, seus camponeses e suas vinhas" (Isaías 61: 5). No final dos dias, todos conhecerão o verdadeiro valor da Torá e do povo de Israel. Todo, mas todo o povo será como Issachar e os gentios como Zevulun, e esta é a aspiração de Yitschak.