Mais lidos

Parashat Ekev

Pessoas "comuns"

Trecho Diário, Parashat Ekev

Pessoas comuns
Recentemente, estudei com a Fonoaudióloga Dora Uchikowski. No final de uma das aulas, perguntei onde ela cresceu e fiquei impressionada ao descobrir que história estava escondida atrás de uma mulher de Jerusalém, uma olá chadasha "normal". Ela abriu a boca e eu só escrevi, com crescente apreciação; "Nasci em Kiev. Tudo era proibido. Minha mãe era professora e era uma profissão ideológica e muito comunista. No entanto, ela jejuava em segredo no Yom Kippur e acendia velas no Shabat. Ela dava sua comida a sua vizinha, não judia, para que esta não a denunciasse por acender as velas toda semana. Quando alguém falecia, chamavam meu pai para dizer Kadish. Ele era um dos únicos que sabia dizer. Mas uma vez  ele foi pego no meio do cemitério e foi ameaçado. Ele chegou em casa chorando. Desde então, quando alguém falecia, papai dizia o Kaddish apenas na casa da família, em silêncio. Ele levava meu irmãozinho secretamente para completar o Minian. Ficávamos com medo até que voltavam.  O Sidur de papai está com minha filha, Irena, na casa dela hoje. Ela é médica. Psiquiatra. Mas a maior história da nossa infância era Pessach. Por matzah - os comunistas poderiam enviar para a prisão. A KGB buscava matsá perto de Pêssach, de modo que mamãe recebia matsá já em janeiro, quatro meses antes. Nós esperávamos por essa batida na janela e era tão emocionante.  Os homens da Resistencia batiam, nos traziam as matzos em uma fronha de travesseiro, e mamãe as escondia durante meses no armário, até o Seder. Nos anos 90, fizemos Aliá em Rosh HaShana. Mamãe não acreditava que fosse possível celebrar sem medo ". O livro Dvarim que estamos lendo agora nos lembra que, mesmo quando vivemos em uma sociedade rica, em um país bom e confortável, não devemos esquecer o que passamos: “E você deve se lembrar de todo o caminho pelo qual o Senhor, seu D´s, te guiou nestes quarenta anos no deserto” וְזָֽכַרְתָּ֣ אֶת־כָּל־הַדֶּ֗רֶךְ אֲשֶׁ֨ר הוֹלִֽיכְךָ֜ יְהֹוָ֧ה אֱלֹהֶ֛יךָ זֶ֛ה אַרְבָּעִ֥ים שָׁנָ֖ה בַּמִּדְבָּ֑ר. Obrigado, Dora, pelo lembrete.