O Trecho Diário / Sivan Rahav-Meir
Mais lidos

Feriados Judaicos

Liberdade é ...

Trecho Diário - Pessach

25.04.19 | 05:20
Liberdade é ... / Trecho Diário - Pessach / Sivan Rahav Meir:
Então, como é uma pessoa que sai da escravidão para a liberdade? O rabino Eyal Vered explica em um pequeno parágrafo que ele escreveu, como, em sua opinião, alguém que não é escravo se comporta:

"Liberdade - é conhecer o pequeno botão vermelho que desliga as coisas e usá-lo.
Liberdade - é a capacidade de não ouvir e não ler Lashon HaRah (língua malvada), mesmo que todos falem assim e borbulhem em todos os sites.
Liberdade - é a capacidade de dizer ao seu empregador que você também tem uma esposa e filhos e, portanto, você não pode trabalhar contra o relógio, saindo quando as crianças estão dormindo e voltando para casa quando estão dormindo, porque você tem outras coisas na vida. E antes do empregador - a liberdade é dizer a si mesmo.
Liberdade - é saber viver do dinheiro que temos, não do dinheiro que não temos (liberdade do cheque especial, em palavras simples).
Liberdade - é manter o corpo livre e não o sobrecarregar com muitos quilos desnecessários que tornam a movimentação e a flexibilidade mais difíceis para ele e nos transformar em escravos que estão presos em nossa própria cadeia, imóveis e respirando pesadamente quando subimos as escadas.
Liberdade - é manter a alma livre, limpa e não ofuscada por visões impróprias. Ou em palavras simples, proteger nossos olhos.
Liberdade - é a capacidade de manter silêncio, não reagir a tudo. Para manter a boca fechada durante uma discussão.
Liberdade - é parar para um pedestre que quer atravessar a rua e deixá-lo atravessar com segurança. E também deixar um motorista - que cometeu um erro e agora está tentando entrar na sua pista - faça isso de forma pacífica. Uma pessoa livre não buzina furiosamente por um carro que parou um segundo a mais no sinal vermelho. Ele sinaliza gentilmente com suas luzes indicadoras.
Liberdade - é olhar para o nosso precioso país com um bom olho e não cair na armadilha da queixa e amargura, mas ser feliz, agradecer e consertar as coisas.
A liberdade não é uma estátua, a estátua da liberdade, mas uma essência. É a alma, a essência do nosso caráter pessoal e nacional ".