Mais lidos

Parashat Mishpatim

A NATUREZA É A VONTADE MAIS CONSTANTE DE D'US

Em sua visão do curso do mundo de uma maneira natural de causa e efeito, pode-se errar e pensar que ele pode transformar as razões em torno dele como ele deseja, e que com seu poder e talento ele será capaz de alcançar os resultados desejados.

Do ponto de vista religioso, essa forma de pensamento é totalmente inaceitável e distancia a pessoa de qualquer conexão com assuntos espirituais, o que significa uma subsidência completa e perigosa dentro do material.
Na natureza e em suas leis, estão ocultas uma prova ao ser-humano. D'us testa a pessoa para ver se ele pensa caso D'us tenha transferido o comando da natureza para outras forças ou se tudo é comandado unicamente por D'us. O decorrer do pensamento herege diz que a pessoa pode aproveitar as leis da natureza e alcançar conquistas dominando os motivos que causam todos os acontecimentos do mundo.
 
Em sua visão do curso do mundo de uma maneira natural de causa e efeito, pode-se errar e pensar que ele pode transformar as razões em torno dele como ele deseja, e que com seu poder e talento ele será capaz de alcançar os resultados desejados.
 
Do ponto de vista religioso, essa forma de pensamento é totalmente inaceitável e distancia a pessoa de qualquer conexão com assuntos espirituais, o que significa uma subsidência completa e perigosa dentro do material.
 
Aquele que tem fé Nele, tem uma abordagem completamente diferente da natureza. A atitude dos que possuem a fé, pode ser discernida em vários graus. Há uma pessoa que acredita em D'us, mas ele sempre tenta agir de acordo com cálculos lógicos e intelectuais, mas não tem certeza de que terá sucesso, porque está ciente de que existem inúmeras razões que podem perturbar seus planos. Embora essa abordagem esteja longe da abordagem herege, ela não reflete a fé pura, e essa pessoa acredita que existe uma espécie de “compartilhamento” do mundo: o homem, governante do mundo em atos e ações, e Deus o ajuda.
 
Em um nível superior estão aqueles que vêem em todos os casos naturais o ato de D'us. A que isso é semelhante? À uma pessoa que olha pelo buraco da fechadura e nota a caneta escrevendo num pedaço de papel. É natural que o espectador abra a porta e veja que um homem está segurando a caneta e a escrevendo. O incrédulo, que se recusa a acreditar na providência de D'us, é como um homem que se recusa a abrir a porta e continua a olhar pelo buraco da fechadura. O herege está convencido de que a fechadura é todo o espaço através do qual as coisas podem ser previstas e compreendidas. Por outro lado, o crente sabe e sabe que a natureza nada mais é do que uma caneta nas mãos do Criador, e ele escreve nela tanto quanto deseja.
 
Toda boa ação que a pessoa faz, eleva-o a um nível superior. Suportar e passar com sucesso a prova apresentada por D'us, é considerado um grande empurrão para cima. Qualquer tentativa que tenha terminado com sucesso eleva a pessoa e permite que ele continue avançando a partir de sua nova posição. É verdade que ninguém foi prometido que a partir de agora as tentativas vão parar e com isso não haverá perigo que não supere a prova apresentada por D'us. Pelo contrário, "quanto mais a pessoa tem um nível maior, mais forte será sua prova" e, portanto, suas provas podem ser mais difíceis.
 
A tentativa também serve para provar a todos a grandeza daquele que está sendo provado, como disse D'us para Avraham Avinu após a Akeidat Yitschak (Bereshit 22:12): " Agora eu sabia que vc teme a D'us" - "Eu sabia" como "eu anunciei". Um dos objetivos da tentativa foi mostrar às nações a beleza das ações de Avraham.
 
No entanto, apesar dos resultados bem-vindos ao superar o teste, ninguém deve procurará-lo. Pelo contrário, cada pessoa deve viver de acordo com as palavras da tefilá: "Não me dê provas", pois que sabe se aguentaremo-as. Porém, se a Divina Providência decreta que ele está sujeito à prova, seu sucesso neste teste o leva além de seu nível espiritual anterior, e quanto mais difícil a experiência, maior a vitória, a recompensa e a elevação espiritual. No entanto, ele não deve convidar tentativas. O perigo destes é grande, e nenhuma porta está imune ao perigo, mas devemos aber que D'us não dá nenhuma prova que ninguém possa não aguenta-la.