Mais lidos

Parashat Noach

Os filhos de Noach hoje em dia

O poder da sabedoria também serve ao livre arbítrio. Ele pesquisa os valores pelos quais será estabelecida a vida e seu propósito. A diligência e o amor ao trabalho também fazem parte do esforço. Os valores espirituais concedem riqueza interior profunda, que é o único domínio da autoridade do indivíduo que está no coração do homem.

Os filhos de Noach hoje em dia
Embora as antigas nações já não existem no mundo, suas linhas de caráter permaneceram como as linhas básicas de diversos e vários grupos de seres humanos. Isso é expresso no ambiente social de cada povo e no caráter de cada  indivíduo, que consiste em antigas inclinações de qualidades humanas.
 
Os três filhos de Noach -  Shem, Cham e Yefet dividiram, entre eles, o caráter da natureza humana:
 
Shem - Ele é o ancestral daqueles que têm aspirações espirituais por moralidade e valores, por conteúdo elevado e por um profundo desenvolvimento da essência interior.
 
Yefet- Ele é o ancestral daqueles que seguem a superficialidade, aqueles que desejam alcançar somente realizações superficiais, para se orgulhar, por conveniência e prazer.
 
Cham- Ele é o ancestral daqueles que seguem as tendências para se estabelecer no trabalho de construção das fundações das necessidades deste mundo e da obtenção de sua bondade material.
 
Existem, portanto, três tipos de carateres para os quais a pessoa se dedica em sua vida. Cada um deles enfatiza uma força especial entre as forças que o Criador plantou no homem e, de fato, cada uma delas precisa da outra força para obter um trabalho em conjunto.
 
Shem- O poder da fé e do livre arbítrio, que é usado para estabelecer uma verdadeira escala de valores, de acordo com a qual o homem cria o conteúdo espiritual de sua vida. O mundo interior dos valores do homem e seu forte relacionamento à sua fé nesses valores são expressos em todas as suas ações. Ele engloba sua personalidade, participa das decisões de livre arbítrio e constrói o mundo interior do homem.
 
O poder da sabedoria também serve ao livre arbítrio. Ele pesquisa os valores pelos quais será estabelecida a vida e seu propósito. A diligência e o amor ao trabalho também fazem parte do esforço. Os valores espirituais concedem riqueza interior profunda, que é o único domínio da autoridade do indivíduo que está no coração do homem.
 
Yefet- O desejo de viver uma vida agradável e um senso de beleza, é necessário a fim de criar ferramentas que facilitam a preocupação e o esforço pela existência e para que a vida seja agradável. As realizações práticas do homem, nas quais ele pode se gabar, são produtos de sua inteligência e sabedoria, e são os frutos do poder intelectual e dos talentos naturais do homem com quem ele foi abençoado desde o nascimento.
 
Cham- A terceira força é o atributo de diligência, realização e esforço. Estas três virtudes, são necessárias para que o homem forneça os fundamentos da existência material. As coisas que uma pessoa precisa para sustentar sua vida são adquiridas pela diligência e esforço. O amor ao trabalho e a alegria do coração no esforço tocam em todas as áreas da vida humana, mas nesta parte eles se destacam.
 
Estes são os três tipos de virtudes pelos quais os seres-humanos vivem. Cada um deles tem o poder de conquistar todos e de ser considerado o propósito e o único propósito de sua vida. Poderia ter havido uma parceria verdadeira, boa e honesta entre as virtudes, caso cada uma delas se una às outras sincronizada e equilibradamente.
 
Essas virtudes devem ocupar seu lugar correto, tanto na vida pública quanto na vida social. A maneira correta para que isto aconteça, é quando cada um está na sua devida posição, sendo que a base espiritual é o alicerce de tudo, para que as outras virtudes possam se desenvolver corretamente.
 
O grande problema da humanidade é quando estas três virtudes essenciais, são usadas e postas em prática, sem equilíbrio. Deste modo, tudo muda do bem para o mal. Por exemplo: quando a dedicação à parte material, passa a ser a essência de vida a tal ponto, que a pessoa concentra todos seus esforços para cultuar seus prazeres materiais, não somente no comportamento individual, mas também  no comportamento público.
 
A escravidão pelas necessidades da vida pode ser intensificada ao ponto da cegueira. O desejo de prazeres, pode fazer com que a pessoa perca o limite da vergonha, e se comporte como um animal. Cada uma das três virtudes citadas acima, caso não seja utilizada adequadamente de modo e porcentagem correta, podem transformar a vida, ao invés de bela e agradável, em uma vida deturpada e cheia de angústias e intrigas.
 
Não há nada mais nítido e explícito do que a própria realidade, para provar isto.