Parashat Metzorá e doenças

Parashat Tazria

As verdadeiras origens das doenças

O profeta Elisha, curou a Naaman, o ministro da defesa de Aram, de sua lepra. Em troca, Naaman pediu para dar um presente ao profeta, mas este recusou-se a aceitar uma recompensa dele. Quando Naaman partiu a seu caminho, Gechazi, o servo de Elisha, correu atrás dele pedindo a recompensa para si.

Doenças e nossas ações - Parashat Tazria Metorá
Sobre três personagens do Tanach, é contado que adoeceram com a lepra. Cada uma destas pessoas tinha uma das três virtudes, que segundo a Mishná (Pirkei Avot 4:5), pode causar com que deixem de viver de modo normativo: inveja, desejos materiais e a busca da honra.
Miriam
Miriam a profetiza, falou calúnia sobre seu irmão, Moshe Rabenu, como consta na Torá (Bamidbar 12:2): " será que D'us falou somente com Moshe, eis que conosco também falou". Ela comparou o nível da profecia de Moshe com os outros profetas. No midrash é trazido que o pecado delicado de Miriam, foi por inveja. De fato, a punição não não demorou a chegar, como consta na Torá (Bamidbar 12:10) : "e a nuvem (da presença Divina) se retirou de sobre a tenda, e eis que Miriam estava leprosa como a neve".
Naaman, ministro da defesa de Aram
O profeta Elisha, curou a Naaman, o ministro da defesa de Aram, de sua lepra. Em troca, Naaman pediu para dar um presente ao profeta, mas este recusou-se a aceitar uma recompensa dele. Quando Naaman partiu a seu caminho, Gechazi, o servo de Elisha, correu atrás dele pedindo a recompensa para si. Contra o amor ao dinheiro de Gechazi e por causa da profanação do nome de D'us causada neste caso, Elisha disse que seu servo ficaria com a lepra de Naaman, e assim aconteceu, como consta no livro de Melachim 2 (5:27): " e saiu perante a ele, leproso como a neve".
O rei Uziahu
A terceira pessoa que adoeceu com lepra, foi o rei Uziahu. Este rei, pediu para queimar incenso no altar. Os sacerdotes lhe disseram (Divrei Haymim 2 26:16): "Saia do templo, pois profanastes, e não é para ti queimar o incenso a D'us, pois isto é para os sacerdotes filhos de Aharon, santificados para incensar".
O rei Uziahu perseguiu a honra. Depois que a monarquia estava em suas mãos, ele aspirou a se apropriar do sacerdócio. Mas aqui, "a lepra brilhou em sua testa diante dos sacerdotes, na casa de D'us, acima do altar de incenso".
As três transgressões que por elas veio a lepra, são paralelas ás três virtudes capazes de "tirar" a pessoa deste mundo, como consta em Pirkei Avot (4:5): " inveja, desejos materiais e a busca da honra...".
A lepra é conhecida como uma doença incurável, mas, apesar disso, um boato chegou aos ouvidos de Naaman, que na Terra de Israel há remédio e esperança para sua doença.
Uma jovem judia que foi capturada pelo exército de Aram e foi serva da esposa de Naaman, aconselha a sua patroa, que seu marido se dirija ao profeta na região da Samaria, para que este cure-o da lepra. Sua fé inocente, que ela absorveu na casa de seus pais, foi o que ditou seus passos.
Naaman pede para seu rei, o rei de Aram, uma autorização para sair à Samaria. O rei concorda e envia uma carta ao rei de Israel, informando-o da chegada de Naaman e de sua comitiva. A carta fala sobre a lepra de Naaman, e sobre a grande esperança de que os judeus o ajudem a curá-lo.
A carta causa agitação na casa de Yehoram filho de Achav, rei de Israel. Ele acredita que isto é apenas uma provocação por parte do rei de Aram.
O rei não era suficientemente fiel a D'us. Ele julgou as questões que vieram antes dele, não de um ponto puro de crença, e, portanto, parecia-lhe que o rei da Aram estava tentando persegui-lo e buscou um ponto em que o rei de Israel não obedecesse às suas ordens. Além disso, Yehoram tinha vergonha de se voltar para o Profeta, porque suas ações não eram corretas e dignas. Portanto, ele preferiu entender que a referência à cura da lepra foi pessoalmente dirigida a ele pelo rei de Aram, com malignas intenções.
O profeta Elisha, ouve a resposta do rei, e ele diz ao rei (ibid: 8): "... que (Naaman) venha a mim, e saiba que existe profeta no povo de Israel". O objetivo do Profeta era divulgar a bravura Divina, e o grande benefício de andar em seu caminho. Portanto, ele perguntou ao rei por que não envia Naaman a ele.
Quando Naaman chega à casa de Elisha, este não cumprimenta-o, mas envia seu servo Gechazi. Naaman ouve do mensageiro que o profeta o instrui a banhar-se sete vezes no rio Jordão para ser curado.
Ao escutar as palavras do profeta, Naaman ficou furioso. Para um conselho tão simples de tomar banho no rio, ele teve que se preocupar em vir de Aram? Eis que o reino de Aram é abundante em rios muito melhores do que todos os rios da terra de Israel. Naaman saiu com raiva e não quis escutar os conselhos do profeta.
Seus servos convenceram-o que vale a pena seguir o conselho do profeta. Eles disseram: ele lhe pediu uma coisa tão trivial, você não acha que deveria tentar?
Isso é aceito por Naaman. Imediatamente ele assim que ele desce e mergulha no rio Jordão segundo a orientação do profeta. Sua carne retorna a ser como a carne de um menino pequeno. Como resultado desta cura milagrosa, Naaman tornou-se um guer toshav (converso residente), observando sete leis de Noach e acreditando em um único D'us.
Para entender por que Naaman foi curado dessa maneira, é preciso examinar os estágios da ascensão e crescimento de Naaman:
Anos antes, Achav, rei de Israel, voltou-se para o rei de Yehudá e perguntou se ele estaria disposto a sair em conjunto, para entrar em guerra contra o reinado de Aram. O rei de Yehudá concorda, porém com a simples condição isto esteja de acordo com a vontade Divina, transmitida por um profeta. Achav convence a quatrocentos falsos profetas, e eles preveem uma grande vitória que cairá na parte de Achav naquela guerra, mas o rei de Yehudá diz a Achav que ele quer ouvir a profecia de um verdadeiro profeta, o profeta de D'us.
O rei de Yehudá se voltou para o profeta Michá, e ele profetizou que o povo se dispersaria após a guerra como ovelhas sem pastor.Em outras palavras, o próprio rei Achav estava prestes a morrer nesta guerra.
Apesar desta profecia explícita, Achav vai para a guerra, vestindo uma fantasia para evitar que seja identificado.
Durante a guerra, uma flecha vinda da direção do exército de Aram acertou-o e matou-o.
O soldado que atirou a flecha foi Naaman. Como resultado, ele foi elevado à grandeza e foi nomeado ministro do exército de Aram. Seu orgulho aumentou, e por causa desse orgulho ele teve lepra.
Naaman não estava ciente da causa espiritual de sua lepra, e pensava que o profeta era um médico homeopata natural. Ele levou ouro, dinheiro e roupas para pagar, como os médicos pagam. Ele não percebeu que enquanto não fosse submisso ao coração, não receberia remédio.
O profeta decide subjugar o orgulho de Naaman para curá-lo. Ele não sai para encontrá-lo, mas envia seu filho para quebrar seu orgulho. Ele informa que a cura para a lepra é imergir no rio Jordão. Em nome do rio O propósito do mergulho: "Yarden-baixada" significa a descida do espírito de orgulho.
Ouvindo as palavras do emissário de Elisha, Naaman ficou irritadíssimo e afirmou: 'Eu o ministro do exército, e aqui devo escutar ordens estranhas?!? A grandeza e orgulho de Naaman impedia a introdução em seu coração de que enfrenta um processo espiritual que pode curá-lo. Em sua opinião, tudo continua acontecendo naturalmente e medicamente, como aconteceu em Aram. Portanto, ele está tão furioso com o que ouviu e não está disposto a cumprir o conselho do profeta.
Como mencionado, após as súplicas de sua comitiva, ele mergulha no rio Yarden e imediatamente depois de abaixar sua imagem e ouvir as palavras do profeta, ele é curado.
Naaman é grato ao profeta por seu trabalho, e deseja remunerá-lo, porém o profeta recusa receber remuneração. Assim, o nome de D'us é santificado no mundo.
As sete vezes que Naaman mergulhou no rio Yarden, foram para aproximá-lo a D'us. Cada mergulho foi com o intuito que recebesse uma das sete mitsvot de Noach. Naaman chegou à casa de Elisha e disse: Entre os mandamentos que tomei sobre mim mesmo, está a crença em D'us. Vou manter estes mandamentos, mas quando for chamado por meu mestre para irmos juntos à casa de idolatria, caso não me curve estarei me arriscando e portanto, gostaria de ser perdoado por isso.
O profeta envia-o em seu caminho para a paz, sã e salva em seu corpo, depois que sua alma também foi restaurada.
Quando Gechazi, o servo do profeta, viu que Elisha recusou a aceitar remuneração de Naaman, ele queria conseguir para si mesmo. Ele perseguiu Naaman e contou-lhe sobre dois outros profetas que acabavam de chegar ao profeta Elisha e, extraordinariamente, pediu-lhes dinheiro e roupas. Naaman deu a ele, mas a forte impressão que o profeta deixou em sua recusa em aceitar o pagamento expirou.
Elisha sabia em profecia tudo o que havia sido feito, e quando Gechazi apareceu diante dele, ele provou-o duramente pela profanação do nome de D'us. Como resultado, Elisha amaldiçoou-o que a lepra de Naaman se apegaria a ele.
Este caso nos ensina uma moral instrutiva que cada pessoa deve pôr em seu coração, que as raízes de todas as doenças e principalmente a lepra, são raízes espirituais, e que sua cura depende da correção de nossos caminhos e de nossa humildade.
 
Mais lidos
https://br.hidabroot.com/