Mais lidos

Halacha

Eruv Tavshilin - Yom Tov que caiu na véspera do Shabat

Eruv Tavshilin. Isto significa que toda a proibição de preparar no Yom Tov para o Shabat, é somente ao iniciar os preparativos no Yom Tov. Porém caso tenha iniciado os preparativos de Shabat na véspera de Yom Tov, é permitido continuar os preparativos no Yom Tov.

Eruv Tavshilin
Yom Tov que caiu na véspera do Shabat, é proibido fazer qualquer preparativo no Yom Tov para Shabat. A fonte desta proibição consta na Torá (Shemot 16:5): "vehaia baiom hashishi veechinu et asher iaviu - e será no sexto dia, e prepararão o que trarão". O Talmud (Beitsá 2b), trouxe o ensinamento de Raba, que deste versículo aprendemos que os preparativos para o Shabat e para o Yom Tov, devem ser feitos somente em dias comuns (vésperas dos mesmos). Caso Shabat e Yom Tov sejam em dois dias seguidos, mesmo sendo Yom Tov na véspera de Shabat ou posterior ao Shabat, é proibido preparar nada de um dia para outro dia. 
No Talmud (Beitsá 15b) consta que é permitido cozinhar e fazer os outros preparativos de Shabat, caso Yom Tov caia na sexta-feira, através de Eruv Tavshilin. Isto significa que toda a proibição de preparar no Yom Tov para o Shabat, é somente ao iniciar os preparativos no Yom Tov. Porém caso tenha iniciado os preparativos de Shabat na véspera de Yom Tov, é permitido continuar os preparativos no Yom Tov.
Existem certas leis e restrições neste assunto, que serão apresentadas adiante:
Yom Tov que caiu na véspera de Shabat, é permitido assar ou cozinhar especialmente para Shabat, somente caso tenha feito Eruv Tavshilin na véspera de Yom Tov. Ou seja, que pegue pão e algum cozido que é comum comê-lo com pão, e recite a berachá "... asher kideshanu bemitsvotav vetsivanu al mitsvat eruv". Em seguida, deve recitar as seguintes palavras "baseando-se neste eruv, será permitido a nós assar, cozinhar, cobrir as panelas (para que a comida não perca seu calor), acender as velas, e fazer todos os preparativos necessários no Yom Tov para o Shabat. 
É necessário que o cozido preparado seja comum comê-lo com pão. Como por exemplo, carne, peixes, ovos e etc... . porém algo que de modo comum não acompanha o pão, não serve como eruv. A quantidade do cozido deve ser cazait (27g) e do pão cabeitsá (57g). Deve ser preparada uma bela porção em respeito a mitsvá, e o pão deve estar inteiro. O costume é de usar este pão na terceira refeição de Shabat (seudá shelishit), pois uma vez que foi cumprida uma mitsvá com este pão, devemos cumprir com ele outras mistvot. 
A permissão de preparar no Yom Tov para o Shabat através do eruv tavshilin, é somente caso haja tempo no Yom Tov de ter proveito que foi preparado neste dia. Por exemplo, caso tenham vindo visitas que possam ter proveito dos cozidos preparados neste dia. Porém caso não haja tempo, o eruv tavshilin não serve como permissão para tais preparativos. 
Não será permitido assar e cozinhar através deste eruv, somente na véspera de Shabat. Porém, caso Yom Tov caia na quinta-feira e na sexta-feira, será permitido preparar para Shabat, somente na sexta-feira. 

O eruv deve existir até que tenham sido preparadas, todas as preparações do Shabat. Caso o pão do eruv foi consumido ou perdido antes do término dos preparativos, é permitido continuá-los. Porém caso o cosido foi consumido ou perdido, caso tenha sobrado cazait (27g), pode continuar. Porém se nem isso sobrou não pode continuar, pois é considerado como se não tivesse feito o eruv.
O rabino da cidade ao fazer seu eruv, é considerado que o fez não somente para sua família, mas também para todos os habitantes da cidade. 
A pessoa que está sem o eruv:
Caso o motivo foi por perca ou consumo do eruv (não sobrando cazit-27g), não pode continuar fazendo seus preparativos. A razão é que mesmo que rabino da cidade menciona que o eruv feito por ele serve para todos os habitantes, de qualquer modo a pessoa que preparou seu eruv é considerado que anunciou que não se apoia no eruv do rabino.

A pessoa que esqueceu de fazer o eruv ou que houve algum motivo de força maior que impossibilitou-o de fazer o eruv, pode apoiar-se no eruv feito pelo rabino. A razão é que neste caso, não demonstrou que não se apoia no eruv do rabino. Esta  permissão é somente usada em uma única vez.

Segundo a opinião do Rabino Ovadia Yossef Zts"l, nos dois casos citados acima, é permitido apoiar-se no eruv do rabino da cidade, mesmo se tais situações aconteceram em outras oportunidades.

Aquele que por preguiça ou propositalmente não o fez, não pode preparar nada do Yom Tov para o Shabat.
Orientações especiais para Yom Tov que caiu na véspera de Shabat
Como o Yom Tov cai na véspera do Shabat, é necessário tomar cuidado para iniciar a refeição do dia de Yom Tov, até 2 horas temporárias antes do pôr do sol. Pois em véspera de Shabat nos dias comuns, é proibido fixar uma refeição nesta hora, para que possa comer a comida de Shabat com satisfação e vontade. A mesma orientação é válida segundo as opiniões que comem seudá shelishit no último dia de Pessach por serem os últimos momentos de comer matsá. 
De acordo com a maioria dos posskim (legisladores da halachá), no Shabat após o sétimo dia de Pessach, é permitido que os residentes na terra de Israel consumam chamets. Mesmo que algo que era considerado como muktsê na entrada de Shabat continua no Shabat sendo muktsê mesmo que o motivo desta proibição já não existe, de qualquer modo, o muktsê continua somente no caso que a proibição original é do dia posterior (como por exemplo: furtas que não cairam da árvore no início do Shabat, são proibidas de serem consumidas no Shabat, mesmo que durante o Shabat, caíram da árvore). 
Porém caso a proibição original seja relacionada ao dia anterior (como neste caso que na entrada de Shabat o chamêts é considerado muktsê, por causa do último dia de Pessach), durante o Shabat, este chamêts será premitido de ser consumido.
Na prática, o chamêts não é consumido neste dia, pois este deve ser adquirido novamente do gentio. Aquisição no Shabat, é proibido por chachamim, para que a pessoa não chegue ao ponto de escrever os detalhes e dados de tal compra. 
Aqueles que em Pessach não consumem grãos (kitniot) e matsá imersa na água (matsá shruiá), podem consumi-los neste Shabat. Porém devem tomar cuidado que seus utensílios não absorvam o sabor de tais produtos, para que no próximo ano tais utensílios não esteja de acordo com seus costumes.
O shabat posterior ao sétimo dia de Pessach, em Israel é Shabat comum, e no exterior é Shabat e Yom Tov. As diferenças são: 1- nas tefilot que no exterior são tefilot de Shabat e Yom Tov, e em Israel são tefilot de Shabat comum. 2- na leitura da Torá no exterior é lida a parashá adequada ao último dia de Pessach, e em Israel é lida Parashat Shemini.
A pessoa que está em Israel mesmo que pela halachá é considerado para ele o segundo dia de Yom Tov, pode subir na Torá mesmo sue para ele a parashá lida não é esta.