Hilel e Shamai - A ética dos pais
Mais lidos

A Ética dos Pais

A ética dos pais - capítulo 1 Mishna 12 : ame a paz, persiga a a paz,

הִלֵּל וְשַׁמַּאי קִבְּלוּ מֵהֶם. הִלֵּל אוֹמֵר: הֱוֵי מִתַּלְמִידָיו שֶׁל אַהֲרֹן, אוֹהֵב שָׁלוֹם וְרוֹדֵף שָׁלוֹם, אוֹהֵב אֶת הַבְּרִיּוֹת וּמְקָרְבָן לַתּוֹרָה: Hilel e Shamai receberam deles. Hilel sempre dizia: seja um discípulo de Aharon, ame a paz, persiga a a paz, ame as pessoas e aproxime-as à Torá.

Hilel sempre dizia: seja um discípulo de Aharon, ame a paz, persiga a a paz,
הִלֵּל וְשַׁמַּאי קִבְּלוּ מֵהֶם. הִלֵּל אוֹמֵר: הֱוֵי מִתַּלְמִידָיו שֶׁל אַהֲרֹן, אוֹהֵב שָׁלוֹם וְרוֹדֵף שָׁלוֹם, אוֹהֵב אֶת הַבְּרִיּוֹת וּמְקָרְבָן לַתּוֹרָה:

Hilel e Shamai receberam deles. Hilel sempre dizia: seja um discípulo de Aharon, ame a paz, persiga a a paz, ame as pessoas e aproxime-as à Torá.
 
Os dois líderes famosos, Hillel e Shamai, encabeçaram a nação num momento de grandes transições e mudanças. Como presidente do Sanhedrin, Hillel realizou variados papéis que a geração precisava.

Hillel o ancião, presidente de Israel e pai da dinastia presidencial, reabilitou a vida espiritual destruída pela acessibilidade das autoridades e foi louvado pelos nossos sábios como se fosse um dos fundadores da Torá Oral, que quase foi esquecida do povo de Israel.
 
Na sua sabedoria e conhecida moderação, ele ganhou o amor e a admiração do público. Graças à sua famosa humildade, ele permaneceu por gerações como um exemplo a seguir. Todas as suas ações foram preenchidas com prazer e paciência, uma fuga da controvérsia e um desejo de paz.
 
Hillel foi um dos maiores sábios de Israel e seus líderes cerca de 100 anos antes da destruição do Segundo Templo. Ele nasceu na Babilônia em 3648 para a criação do mundo, a 2130 anos atrás. Aprendeu Torá de Shemaiah Avtalyon.
 
Consta no Talmud (Yomá 35b) sobre Hilel: todos os dias ele se ocupava com certo trabalho, e ganhava uma única moeda chamada de traepik. Metade da moeda usava para sua subsistência e a outra metade pagava ao segurança do beit Midrash.

Uma vez que ele não conseguiu ganhar tal quantia, não teve para sua subsistência, e óbviamente que não teve como pagar ao segurança do Beit Midrash. O que ele fez? Subiu ao teto Beit Midrash para que ele pudesse ouvir as palavras de Torá transmitidas por Shemaiah e Avtalyon. Conta o Talmud: "Aquele dia era sexta-feira, véspera de Shabat, na época do mês de Tevet. A neve estava caindo do céu e cobriu-o até congelar.
 
Ao chegar a alvorada, Shemaya disse a seu companheiro Avtalyon:" Meu irmão, por que o dia está tão escuro uma vez que geralmente nesta hora o dia já está claro? Será que o dia está tão nublado? Eles observaram na chaminé, e viram que estava lá uma forma de um corpo humano. Eles subiram nela, e impressionadamente encontraram lá o corpo de Hilel totalmente congelado e coberto com uma camada de 1.5 metro de neve. Mesmo que era Shabat, por perigo de vida usaram todos os meios para tirar a neve dele, para que Hilel volte à consciência. Após este caso fenomenal, eles lhe deram permissão para entrar no Beit Midrash sem pagamento.

Consta no Talmud (Yomá35b): Quando um pobre chega ao julgamento depois de "seus 120", perguntam-lhe: por que você não se se ocupou com Torá? Mesmo que ele diga que era pobre e estava preocupado com seu sustento, este argumento não será aceito. Pois dirão a ele: será que você era mais pobre do que Hillel? Que apesar de ser um pobre pobre no começo, mesmo assim dedicou-se integralmente ao estudo da Torá.

O motivo pelo qual sua sabedoria e suas delicadas virtudes foram divulgadas a tal ponto que foi nomeado como o presidente do Sanhedrin, foi através do seguinte caso que consta no Talmud (Pessachim 66a):

Certa vez, o dia 14 de Nissan (véspera de Pessach), caiu no Shabat. Bnei Beteira que eram os chefes espirituais na Terra de Israel naquela época, não sabiam se a o Korban Pessach deveria ser sacrificado no Shabat ou não?

Alguém lhes disse: existe um sábio chamado Hilel, discípulo de Shemaya e Avtalyon, que veio de Babilônia. Vamos questioná-lo sobre isso, para saber se este sacrifício é feito no Shabat ou não. Eles o chamaram: " Por acaso você sabe se o Korban Pessach é sacrificado no Shabat? "Ele começou a analisar o caso com lógicas do Talmud, e convenceu os sábios de que o sacrifício é feito no Shabat. Após esta solução ele foi nomeado como presidente do Sanhedrin. Disse-lhes Hilel, que o motivo que pelo qual ele foi nomeado como chefe do Sanhedrin, foi por ter aprendido a Torá dos dois maiores sábios da geração. Naquele dia ensinava-os integralmente as leis de Pessach.

Por que ele virou presidente por causa disso?

A resposta é que para ter o mérito de ser um transmissor da Torá, devemos ter plena convicção que a Torá foi outorgada a Moshe no Monte Sinai. Mesmo que para muitos é um conceito básico, porém este conceito tem várias e várias camadas profundas. Uma delas é que na ciência, quanto mais novata e brilhante é a invenção ou o projeto criado, recebe mais elogios e consideração para adiantar o projeto adiante.

Na Torá, mesmo que o caso tratado e a ideia surgida sejam de lógica brilhante e  na prática vemos resultados de sua veracidade, de qualquer modo sem que isto esteja baseado em alicerces de nossos ancestrais que nos transmitiram a Torá de acordo com as ordens determinadas por nossos chachamim, o caso tratado não será considerado.

Hilel não ficou famoso somente por sua sabedoria e por sua lealdade em transmitir a Torá segundo o ensinado por seus ancestrais. Ele ficou famoso também por sua infinita paciência, como consta no Talmud (Shabat 30b-31a).

Duas pessoas fizeram uma disputa para saber qual deles conseguiria fazer com que Hilel ficasse furioso. Se um conseguir, o outro lhe daria a quantia de 400 zuzim (moeda da época), se não o outro lhe daria. Um deles disse que provocaria Hilel.

Aquele era uma sexta-feira, véspera do Shabat.  Hilel estava no micvê esfregando sua cabeça. Tal pessoa passou na porta do micvê, e começou a gritar: Quem é Hillel aqui? Quem é o Hillel aqui? Hillel cobriu-se com a toalha e saiu para cumprimentá-lo.
Hilel disse a ele: meu filho, em que posso lhe ajudar? Ele disse a Hilel: eu tenho uma grande pergunta a perguntar.

Disse-lhe Hilel: meu filho pergunte. Perguntou tal pessoa a Hilel: Por que as cabeças dos babilônios são elípticas? Hilel disse a ele: meu filho, você fez uma ótima pergunta, porque eles não têm parteiras profissionais e quando eles nascem eles tocam suas cabeças suaves e suas cabeças se tornam elípticas.

Tal pessoa esperou uma hora e repetiu: Quem é Hillel aqui? Quem é o Hillel aqui? Hilel cobriu-se com a toalha e saiu ao encontro dele. Hilel disse a ele: "Meu filho, em que posso lhe ajudar?"

Disse tal pessoa a Hilel:tenho uma pergunta a perguntar. Hilel disse a ele: meu filho,  pergunte o que você deseja saber. Perguntou tal pessoa a Hilel: por que os olhos dos habitantes da região de Tarmud (Síria), são redondos (ou seja, macios e doentios)?

Hilel disse a ele: "Meu filho, você fez uma ótima pergunta. A resposta é porque eles vivem no deserto entre as as areias. Caso seus olhos fossem comuns, facilmente entraria areia nos olhos e lhes causariam doenças oculares.

Tal pessoa esperou uma hora e repetiu: Quem é Hillel aqui? Quem é o Hillel aqui? Hilel cobriu-se com a toalha e saiu ao encontro dele. Hilel disse a ele: "Meu filho, em que posso lhe ajudar?"

Disse tal pessoa a Hilel:tenho uma pergunta a perguntar. Hilel disse a ele: meu filho,  pergunte o que você deseja saber. Perguntou tal pessoa a Hilel: por que as pernas dos africanos são largas? Hilel disse a ele: "Meu filho, você fez uma ótima pergunta. A resposta é porque eles vivem entre os riachos d'água, andando com seus pés largos e estando descalços, não se afogam ". Rashi explica que a pessoa que usa sapatos fecha a perna, e a coloca no padrão.

Disse tal pessoa a Hilel: eu tenho muitas perguntas a perguntar e temo que você fique com raiva (por causa de minhas perguntas).

Hilel cobriu-se com a toalha, e sentou-se diante dele, e disse-lhe: meu filho, todas as perguntas que você tem para perguntar.

Disse tal pessoa a Hilel: "Você é Hillel, que é chamado de Presidente de Israel?" Hilel disse a ele: Sim.  Disse tal pessoa a Hilel:Se realmente é você, que não existam pessoas como você no povo de Israel".

Hilel disse a ele: meu filho, por quê? Disse tal pessoa a Hilel: Perdi 400 zuzim, numa aposta para saber se eu conseguiria fazer você ficar com raiva. Hilel disse a ele: Cuidado com o vosso espírito, vale a pena que você perca 400 zuzim por causa de Hilel, e que Hilel não fique em nenhum momento com raiva.

Certa vez, um gentio veio perante a Shamai para se converter, e assim disse o gentio a Shamai: "Converta-me para ensinar-me toda a Torá, enquanto eu me apoio numa perna só. Shamai ao ouvir seu pedido expulsou-o de sua sala. Este mesmo gentio ao vir perante a Hilel, lhe fez a mesma pergunta. Assim Hilel lhe respondeu: "O que é odioso para você, não faça para o seu companheiro." Esta é a base de toda a Torá, o resto são somente ramificações. Portanto, vá e aprenda.

Consta no Talmud (Sucá 28a):

Hilel teve oitenta alunos: trinta deles mereciam ter o mérito de falar com a presença Divina, do mesmo modo que falou Moshe Rabeinu. Trinta deles tinham o mérito de fazer o sol para seu ciclo, como o fez Yehoshua Bin Nun. Vinte deles eram de nível intermediário. O maior (destes 20) era Yonatan Ben Uziel, e o menor era Rabi Yochanan Ben Zakai.

Consta no Talmud (Sucá 20a):

Resh Lakish disse: No início, quando a Torá estava quase sendo esquecida do povo de Israel, Ezra o escriba veio da Babilônia e estabeleceu-a novamente. Outra vez, quando a Torá estava quase sendo esquecida do povo de Israel, Hillel,estabeleceu-a (Sucá 20a).

Seu amor pelas pessoas era aparente mesmo para os gentios que tinham vindo para se converter, como visto nos casos anteriores. Ele tratou todos pacientemente e pacientemente. Ele conseguiu encontrar caminhos para seus corações, fez com deixassem suas equivocações, e com sua sabedoria, foram trazidos para a proteção da Presença Divina.

Seja um discípulo de Aharon

Hillel pede a cada um de nós para apresentar diante de seus olhos a figura heroica de Aharon HaCohen, que era um pacificador em todo o povo de Israel. Aharon HaCohen era um mediador entre pessoas brigadas e conseguiu acalmar a raiva mesmo antes que a disputa crescesse. Ele causou que os dois litigantes saíssem bem sobre o assunto.

Nunca podemos alcançar o grau de Aharon, mas somos todos obrigados a tentar ser um de seus discípulos. Às vezes, achamos difícil perdoar e tolerar. Nós tendemos a dizer que isto é "culpa de nossa personalidade, e que não podemos mudar nosso destino". Podemos facilmente dizer :"Eu sou teimoso, não posso esquecer e perdoar". Mas tais desculpas não nos absolverá do nosso compromisso com a paz. Hillel nos ensina:"seja um discípulo de Aharon ", você também - você pode cultivar seus traços e ser uma nova criatura - para tornar seu ser um bom.

Ame a paz e persiga a paz

Algumas pessoas parecem amar a paz: vivem em paz com o meio ambiente, estão dispostos a desistir e a ser flexíveis, desde que não sejam arrastados para a controvérsia. Por outro lado, eles não fazem esforços para perseguir a paz e apaziguá-la com os outros. Quando uma disputa entra em erupção em seu ambiente, eles preferem permanecer neutros, para não intervir, desde que a disputa não os toquem.

"Qual é a virtude de Aharon, a tal ponto que assim disseram sobre ele?"

"Haviam duas pessoas que se contestavam entre si. Aharon se dirigia a um deles e lhe dizia: vi seu amigo, e ele está muito arrependido e agoniado por ter lhe causado uma grande ofensa. Como poderei encontrá-lo e olhar na sua cara. Aharon ficava conversando com ele até que ele conseguia tirar a raiva de seu coração. Em seguida, Aharon fazia a mesma coisa com o outro. Mais tarde, eles se encontrariam e faziam a paz entre eles. Ele teria feito o mesmo em confrontos entre marido e mulher. Por isso, quando Aharon faleceu, a Torá revela (Bamidbar 20:29): "E choraram (por causa do falecimento de) Aharon, todo o povo de Israel". As mulheres também choraram. E havia vários milhares em Israel que foram chamados de "Aharon" em seu nome, porque se não fosse por causa de Aharon, este bebê nunca teria vindo porque seus pais estavam separados uns dos outros.

Daqui devemos aprender, que quanto valioso é fazer as pazes entre amigos e entre marido e mulher. E, pelo contrário, quanta raiva e ressentimento D'us tem sobre aqueles que rompem a paz entre um homem e sua esposa, que fala com o marido contra sua esposa, ou com a mulher condenando seu marido.

É melhor manter a unidade sem rachaduras. Que, depois do conflito já "explodiu", o "amor da paz" não será mais suficiente. Ao mesmo tempo, teremos que fazer um esforço para extinguir a conflagração, "perseguir" com total força a paz que escapou e "conquistá-la".

Ame as pessoas e aproxime-as à Torá

O próprio Aharon fundiu duas qualidades exigidas do líder: Ele ensinou o povo Torah e fez com que muitos abandonassem seus pecados. O povo sentiu sua sincera preocupação por ele espiritualmente e materialmente e por seu grande amor por ele, e, portanto, o povo ouviu-o e obedeceu-o.

Quando Aharon encontrou um homem pecador, ele o cumprimentava com um sorriso agradável e mostrou um grande carinho por ele. Este rosto derivou da profundidade de seu coração amoroso. No dia seguinte, quando um este mesmo homem queria fazer um pecado, ele pensava consigo mesmo: " como poderei encontrar a Aharon HaCohen que me aproximou diante de todas as pessoas? Se eu pecar, como eu posso encará-lo? O grande fogo do amor derreteu o gelo no coração do homem e ele se recuperou.

Esta é a intenção de Hillel quando ele diz: "Ame as pessoas" – que seja este amor, um amor sincero de um coração quente sem medir quem era o homem e o que ele fazia. Se amamos cada pessoa, simplesmente porque ele é criado por D'us, independentemente de suas ações e visão de mundo, também podemos projetar sobre ele a partir do judaísmo e trazê-lo para a Torá.

Devemos seguir no caminho de Aharon, colocar a paz como bandeira e como missão da vida, e assim poderemos fazer a paz entre homem e mulher, entre o homem e seu amigo e entre Israel e D'us.