Parashat Vayishlach

Parashat Vayishlach

Os Bens Materiais Usados Para o Progresso Espiritual

Nossos sábios nos dizem, que os tsadikim têm um apreço maior para com seus pertences materiais do que para com o seu próprio corpo. Isso porque querem se auto-educar para nunca chegarem a ferir os bens materiais do próximo. - Este artigo é um trecho do livro "Nos Caminhos da Eternidade I" Do Rabino Isaac Dichi.

Entre o Material e o espiritual

Nossos sábios dizem “Adam nicar becossô bekissô uvcaassô” – O homem se distingue por meio de seu copo, seu bolso e sua raiva. Portanto, podemos conhecer o caráter das pessoas mediante seu comportamento quando come, o modo como usa seu dinheiro e observando seu temperamento.

Examinaremos aqui o comportamento do indivíduo no uso de seu dinheiro.

Ao sair da casa de Lavan com sua família e dirigindo-se ao encontro de seu irmão Essav, Yaacov Avínu, num dado momento, ficou sozinho: “Vayvater Yaacov levadô” (Bereshit 32:25). Rashi exlica, que Yaacov esqueceu pequenos objetos de seus pertences do outro lado do rio e voltou para buscálos.

Nossos sábios nos dizem, que os tsadikim têm um apreço maior para com seus pertences materiais do que para com o seu próprio corpo. Isso porque querem se auto-educar para nunca chegarem a ferir os bens materiais do próximo.

Sabemos que Yaacov saiu da casa de Lavan com uma grande riqueza. Mesmo assim, voltou para pegar pequenos objetos que pertenciam a ele.

De acordo com a Torá, o cerco (cuidados especiais) – para que o indivíduo não venha a transgredir suas leis – é de suma importância. Somente por intermédio dele é que ficamos protegidos de não cair em graves infrações.

Em outra ocasião, Yaacov colocou à disposição de Essav toda a sua fortuna, para que este lhe cedesse o lugar na Mearat Hamachpelá.

Em princípio, parece haver um comportamento contraditório. Quando se tratava de objetos pequenos, Yaacov voltou para buscá-los, mas quando se tratava do lugar da sepultura, sem hesitar um só momento, colocou à disposição de Essav todos os seus bens para sua aquisição.

Examinando superficialmente, pode parecer contraditório. Porém, com uma análise um pouco mais profunda, concluímos que deve haver uma grande diferença de comportamento para com nossos bens, quando se refere a coisas materiais ou a coisas espirituais.

Com relação a coisas materiais, Yaacov Avínu fez de tudo para poder ter seus objetos de volta, porque não há nenhum motivo para perdê-los. Mas quando se tratou do âmbito espiritual, Yaacov dispôs de toda a sua fortuna, pois não há valor monetário que não seja dispensável para conquistar o espiritual.Baseado no Livro Mishnat Rabi Aharon de autoria do Rabino Aharon Kotler zt”l

 

 

Mais lidos
https://br.hidabroot.com/