Parashat Ki Tetse para crianças
Mais lidos

Crianças Hidabroot

Parashat Ki Tetze para crianças

"A mala que você trouxe não é a minha mala!". Declarou o comerciante imediatamente. "O quê? Quem lhe disse que este não é a sua mala? Você nem viu a mala que eu trouxe, ele está lá fora, do lado da porta!", disse o carregador.

Para Tati: os trechos e palavras que estão grifados de rosa é que não tenho certeza. Favor verificar. Obrigada!! De Orah.
"E você estava cansado, e não temia a D'us" (Devarim 25:18)

Um comerciante navegou para um país distante. Depois que ele desembarcou, ele chamou o carregador e pediu-o: "Por favor, pegue minha mala para o hotel e, quando eu chegar, vou pagar para você".

O comerciante foi ao hotel antes do carregador. Ele entrou no seu quarto e o carregador o seguiu com a mala nas suas costas.

Quando chegou ao hotel, dificilmente conseguiu levar a mala pelas escadas. Ela era muito, muito pesada. Ele colocou-a fora do quarto do comerciante, bateu na porta e entrou com a respiração ofegante: "Oh, a mala estava tão pesada! Estava tão difícil! para mim"

"A mala que você trouxe não é a minha mala!". Declarou o comerciante imediatamente.

"O quê? Quem lhe disse que este não é a sua mala? Você nem viu a mala que eu trouxe, ele está lá fora, do lado da porta!", disse o carregador.

"Eu sei que não é a minha mala, porque vejo que você estava se esforçando e suando carregando-a. Minha mala era leve!", disse o comerciante.

Na verdade, quem sente que está "cansado e exausto" - que ele não tem forças para o serviço de D'us e cumprir os mitzvot - indica que ele "não teme a D'us" - não há temor a D'us nele. Esta não é a mala que Hashem pediu para carregar, pois as mitzvot de Hashem são leves ​​e nos dão alegria.

O Maguid de Dubna conta esta parábola no versículo: "Tu não Me invocaste a Mim, ó Jacó; se te cansaste de Mim, ó Israel." (Isaías 43:22). Se você sente que é difícil seguir as mitzvot, é um sinal de que "Não a Mim que você Me chama", porque não era minha intenção ter esse tipo de serviço de  Hashem, que é feito com uma cara feia e com reclamações de "não tenho força!" e "não estou afim!".

O estudo da Torá é tão doce e bom! Quando sentimos o gosto dele, não ficamos cansados. O verdadeiro serviço de Hashem é feito com alegria, vontade e prazer. É uma experiência especial e maravilhosa cumprir as mitzvot de bondade e da ajuda aos outros; Há uma alegria Divina em estudar a Torá; Há um sabor doce na oração e em cada uma das mitzvot, sobre isso que devemos pedir na oração matutina, "Rogamos-Te, Hashem, nosso D'us, tornar agradáveis as palavras da Tua Torá", faça que realmente nos sintamos que é bom e doce cumprir as mitzvot.