Notícias Judaicas

Santificamento de D’us: A esposa do rabino acalmou uma criaça autista

Emocionante: Durante um vôo de 8 horas a criança autista começou a gritar e a atmosfera era tensa. Rebbetzin Rahcel Groner foi até ela, e a acalmou milagrosamente.

31.07.17 | 17:36
Santificamento de D’us: A esposa do rabino acalmou uma criaça autista
Um Kiddush Hashem de 8 horas: Rabino Ben Tzion Gronr, da Carolina do Norte, Chabad, e sua esposa Rachel estavam voando de Bélgica para os Estados Unidos, quando uma das crianças que voaram no avião começou a gritar.

Num Post emocionante, O Rabino descreveu o que aconteceu com eles, recebeu mais de 4.000 curtidas animadas. "Depois de uma hora de um vôo que tinha duração de oito horas, um passageiro jovem, uma criança pequena com autismo, ficou nervoso. Seus gritos podiam ser ouvidos de qualquer canto do avião e você podia sentir a tensão entre os outros passageiros", escreveu Rabino Gruner.

'' Ninguém queria dizer nada, mas começou a ser muito desagradável. Quinze minutos depois, Rachel caminhou até seu assento junto à janela e estendeu a mão ao menino. Ele olhou para cima e a pegou. Eles caminharam juntos para a parte entre os departamentos e ela sentou-se ali com ele, o acariciou e sacudiu-o por cerca de duas horas. A maioria dos passageiros a olhou com espanto, mas o que eles não sabiam era que para Rachel - isso é sua vida ", concluiu apreciativamente .

O casal Gruner que são "Shluchim" do Chabad da Carolina do Norte, administram duas organizações que se especializam em ajudar os jovens com necessidades especiais. "Estas organizações e Chabad nos ensina que se mantivermos as nossas mãos estendidas com amor e aceitação, os milagres acontecem", continuou Gruner.

Numa entrevista que a Rachel Gruner, 33, deu à agência de notícias JTA, ela contou o que tinha acontecido. "Eu senti que tinha que fazer alguma coisa, porque ninguém estava fazendo nada. Eu não sabia se alguém se levantaria e começaria a gritar com esse menino ou se eles iam realizar um pouso de emergência."

Quando se aproximou percebeu que a mãe da criança se vestia como muçulmana e falava muito pouco Inglês. O rosto do menino estava molhado de lágrimas, e Rachel adivinhou, com a base do conhecimento adquirido no tratamento de pessoas com necessidades especiais, que ele sofria de autismo.

O menino aceitou a mão estendida de Rachel e seguiu-a onde ela o levou. "Ele simplismente me seguiu até a parte entre os departamentos, e eu me sentei com ele e o coloquei nos meus braços, lhe-dei um abraço gentil, mas não fraco, e começei a sacudi-lo. Ele se acalmou".

Durante duas horas, Rachel consegiu a cativar a criança. Eles pintaram as mãos sobre sacos distribuídos no avião, e o menino aceitou a sugestão de Rachel brincar seu telefone celular. Depois de duas horas, ele se levantou e voltou para sua mãe.

"Foi tão bonito de ver," Rachel chora emocionamente. "Foi uma transformação incrível. O que o incomodava antes, já não o incomodava mais, ele estava em um lugar bem melhor."
Mais lidos
https://br.hidabroot.com/